sexta-feira, 5 de junho de 2015

Criança vive no Lar da Criança na capital desde 2011, segundo secretaria.
Ela já fazia tratamento para emagrecer, mas tinha obtido resultados.

 

 

Aos 11 anos, uma menina de 182 quilos, que sofre de obesidade mórbida, deu início a um tratamento em busca de perder peso. A criança vive no Lar da Criança, abrigo destinado à crianças em situação de abandono ou resgatadas em condições de vulnerabilidade, em Cuiabá, embarcou para São Paulo, no último domingo (31).
Além do excesso de peso, a criança tem transtorno de conduta. Ela frequenta a escola normalmente e cursa a 6º série, segundo a Secretaria Estadual de Assistência Social (Setas).
Quando chegou ao abrigo, há quatro anos, ela já estava obesa. Ela já passava por tratamento na unidade, mas como não perdia peso, a 1ª Vara da Infância e da Adolescência e a Promotoria da Infância e da Juventude, que acompanham as crianças caso a caso, conseguiram junto com a secretaria encaminhar a criança para o Hospital das Clínicas.
Ela está internada para fazer uma série de exames e, com o resultado deles, deverá fazer o tratamento médico mais adequado para o caso da menina. Desde quando a criança chegou no hospital, ela já foi atendida por dois psicólogos, dois nutricionais e dois psiquiatras.
A menina foi à capital paulista acompanhada por uma equipe da secretaria, composta por quatro profissionais, sendo uma médica, a superintendente do Lar da Criança e mais dois cuidadores. A criança está sob os cuidados do estado em Cuiabá.
"Se tivermos sucesso em todas as políticas da secretaria, mas, se falharmos com as crianças do Lar [da Criança], nos sentiremos fracassados", disse o secretário de Assistência Social do estado, Valdiney Arruda.
De acordo com a assessoria da Setas, todo o tratamento da menina está sendo financiado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O estado custeará cobrirá as despesas com alimentação e estadia das duas servidoras que ficarão em São Paulo até o fim do tratamento.

 Menina de 11 anos embarcou para São Paulo para fazer tratamento. (Foto: Assessoria/ Setas-MT) 
Menina de 11 anos embarcou para São Paulo para
fazer tratamento. (Foto: Assessoria/ Setas-MT)






















Fonte: G1

Candidatos têm até 23h59 para se inscreverem no site

 

 As inscrições para a edição 2015 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terminam nesta sexta-feira (5), às 23h59 (no horário de Brasília). Hoje também é a data limite para fazer qualquer alteração nos dados cadastrais. 

 Foto: Marcos Santos / USP Imagens

As inscrições devem ser feitas pela internet, no site do Enem, até às 23h59 de sexta-feira (5)
Foto: Marcos Santos / USP Imagens


Um balanço divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) informou que, até as 10h de quinta-feira (4), 5,8 milhões de estudantes fizeram a inscrição no site. As provas serão aplicadas nos dias  24 e 25 de outubro em mais de 1,7 mil municípios em todo o País.  

As inscrições são feitas exclusivamente pela internet, no site do exame. Este ano, o Ministério da Educação (MEC) vai aceitar apenas um participante por endereço eletrônico. Até o ano passado, um mesmo endereço podia ser usado por vários estudantes.  Após fazer a inscrição, os candidatos devem ficar atentos ao e-mail, que será usado para a comunicação direta com cada um dos inscritos.
publicidade
A partir deste ano, o cartão de confirmação de inscrição não será enviado pelos Correios. Ficará disponível na página do Enem na internet. Os locais de prova serão informados no cartão de confirmação da inscrição e será de responsabilidade do estudante fazer a verificação.
A taxa de inscrição teve reajuste e será de R$ 63. Desde 2004, o valor pago era R$ 35. Ficam isentos da taxa os estudantes que encerraram o ensino médio na rede pública e os que apresentarem declaração de carência socioeconômica. Quem não for isento deverá pagar a taxa até o dia 10 de junho.
É também na inscrição que os participantes podem pedir atendimento especializado ou específico. O atendimento especializado é oferecido a pessoas com baixa visão, cegueira, visão monocular, deficiência física, deficiência auditiva, surdez, deficiência intelectual, surdocegueira, dislexia, déficit de atenção, autismo, discalculia ou com outra condição especial.
Já o atendimento específico é oferecido a gestantes, lactantes, idosos, estudantes em classe hospitalar e sabatistas - pessoas que, por convicção religiosa, guardam o sábado. 















Fonte: Terra

Grávidas e crianças formam público que menos aderiu à campanha deste ano

 

Hoje (5) é o último da campanha nacional de vacinação contra a gripe, mas o Pará ainda não atingiu a meta de 80% do Ministério da Saúde. Até ontem (4), o Pará havia imunizado 1.061.045 milhão de pessoas contra o vírus Influenza, cobertura de 72% do público prioritário. Sobre os 144 municípios paraenses, a Coordenação de Imunizações da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) informou que 53 já alcançaram a taxa, enquanto outros 30 municípios, principalmente os próximos a áreas ribeirinhas e de difícil acesso, estão com baixa adesão à campanha. A vacina previne complicações, internações e mortes por gripe.

 

 
Foto: Shirley Penaforte/AmazôniaFoto: Shirley Penaforte/Amazônia  
Os postos de saúde não atenderam o público durante o feriado. Hoje, cabe aos municípios oferecer a vacina ou dar a campanha como encerrada desde a última quarta-feira, 3. Em Belém, as 54 salas de vacinação estarão funcionando hoje, de 8h às 17 horas. A capital vacinou 70% das 311,870 mil pessoas dos grupos prioritários - crianças de seis meses a cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores da saúde; povos indígenas; gestantes; puérperas (mulheres até 45 dias após o parto); portadores de doenças crônicas não transmissíveis, sendo necessário documento que comprova a patologia; população privada de liberdade e aos funcionários do sistema prisional. A dose só é contraindicada a pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para pessoas que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados.
A coordenadora municipal de Imunizações, Maria Nazaré Athayde, disse que após o fim da campanha haverá um balanço para identificar as unidades de saúde que cumpriram a meta e avaliar a possibilidade de manter imunização nos bairros com baixa adesão. “As crianças têm uma adesão um pouco menor. É o último dia. Quem não se vacinou é importante que vá para garantir a vacinação”, apelou.
Para a coordenadora estadual de Imunizações, Jaíra Ataíde, a gripe estará sob controle no Estado a partir da cobertura mínima de 80% de todos os grupos priorizados pelo Ministério da Saúde. Ela relatou que a maior procura é feita por idosos e crianças, e que o grande desafio é levantar o índice de vacinação entre gestantes. O órgão não divulgou dados referentes a esses grupos. “Estamos tendo a coletânea dos dados do pessoal que foi para as áreas de difícil acesso. Depois, a gente vai fazer um balanço”, disse. “Quem tiver a oportunidade de procurar os postos de vacinação, que busque o seu direito de cidadania. É uma proteção a si e ao seu entorno”, completou a coordenadora. Para receber a dose, é importante levar o cartão de vacinação e o documento de identificação. As pessoas com doenças crônicas ou com outras condições clínicas especiais também precisam apresentar prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina.
                         Fonte: Portal ORM

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Propaganda gerou reações homofóbicas e ameaças de boicote à marca.
Em queixa ao Conar, consumidores consideraram comercial desrespeitoso.

 

Casais comemoram Dia dos Namorados (Foto: Reprodução/YouTube)Casais comemoram Dia dos Namorados (Foto: Reprodução/YouTube)


A campanha de Dia dos Namorados do Boticário que mostra diferentes tipos de casais, heterossexuais e homossexuais, trocando presentes, virou alvo de protestos e ameaça de boicote à marca nas redes sociais e até de denúncia ao Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária).
O órgão informou nesta terça-feira (2) que abriu um processo para julgar a propaganda após receber mais de 20 reclamações de consumidores que consideraram a peça "desrespeitosa à sociedade e à família". Ainda não há data para o julgamento.

Procurada pelo G1, O Boticário informou que "não recebeu, até o momento, nenhuma notificação do Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), em referência à campanha “Casais” para o Dia dos Namorados".

A página da marca de cosméticos no Facebook também recebeu uma enxurrada de manifestações, incluindo mensagens de teor homofóbico, mas também muitos elogios à propaganda.
No YouTube, acabou se instalando uma espécie de "competição" para ver se o comercial ganhava mais aprovações ou reprovações. Na tarde desta terça-feira, por volta das 17h, os "likes" ultrapassaram os "dislikes", com número de 172.833 contra 149.622.
Vários internautas chegaram também a registrar seus protestos no Reclame Aqui, site de reclamações sobre atendimento compra e venda de produtos e serviço.
"O Boticário perdeu a noção da realidade, empurrando essa propaganda que desrespeita a família brasileira. Não tenho preconceito mas acho que a propaganda á inapropriada para a TV aberta, a partir de hoje não compro mais nem um só sabonete lá e eu era cliente", escreveu um consumidor.
Segundo o Reclame Aqui, desde o dia 25 de maio, quando o vídeo foi lançado, até o dia 1º de junho, foram 90 reclamações abertas, sendo 84 delas contra e 6 a favor da propaganda.
 
'Diversidade do amor'
A marca anunciou o lançamento do comercial como uma defesa da "diversidade do amor", "além das convenções".

Em nota enviada ao Reclame Aqui, o Boticário reforçou o seu posicionamento: "O Boticário acredita na beleza das relações, presente em toda sua comunicação. A proposta da campanha “Casais”, que estreou em TV aberta no dia 24 de maio, é abordar, com respeito e sensibilidade, a ressonância atual sobre as mais diferentes formas de amor – independentemente de idade, raça, gênero ou orientação sexual - representadas pelo prazer em presentear a pessoa amada no Dia dos Namorados. O Boticário reitera, ainda, que valoriza a tolerância e respeita a diversidade de escolhas e pontos de vista". O posicionamento foi reiterado em nota enviada ao G1 nesta terça.
O Conar informou, por meio da sua assessoria de imprensa, que a abertura do processo para julgar o comercial não impede que a propaganda continue a ser veiculada. O órgão costuma ser cauteloso em casos envolvendo questões morais e o código de autorregulamentação publicitária veda qualquer tipo de preconceito. A previsão é que o caso seja julgado pelo conselho de ética do Conar em até 45 dias.



















Fonte: G1

Vitória por 2 a 1 deixou o Papão com 9 pontos, na sétima colocação da competição

 

 

Dever cumprido. O Paysandu entrou em campo pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro da Série B contra o Santa Cruz-PE, na Curuzu, em jogo que teve falta de energia, emoção e mais três pontos na conta do Bicola, que chegou ao nono lugar da competição nacional.
Em um primeiro tempo bastante movimentado, o placar foi igual. Thiago Martins, em sobra do escanteio marcou para o Paysandu. Anderson Aquino, de pênalti, empatou. Na etapa final, Carlinhos, de cabeça, deu números finais ao confronto.
Agora, os bicolores chegam ao quarto jogo seguido com vitória, três na Série B e um na Copa do Brasil. O resultado aproximou os bicolores do grupo dos quatro primeiros que jogarão a Série A em 2016, na sétima colocação, com nove pontos.
No sábado (6), às 21h, no Mangueirão, o confronto será diante do Paraná Clube, jogo que terá o acompanhamento lance a lance do Portal ORM News. No mesmo dia, o Santa Cruz jogará com a Luverdense, fora de casa.


Foto: Arquivo O LiberalFoto: Arquivo O Liberal                              Fonte: Portal ORM

terça-feira, 2 de junho de 2015

Procedimento da paciente contemplada foi acompanhado em Campinas.
Placa de titânio usada para reconstrução facial foi feita em impressora 3D.

 

 

O Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp em Campinas (SP) realizou a primeira cirurgia com placa de titânio impressa em 3D do Brasil. O pó do metal é importado e ainda não tinha sido usado para um procedimento de reconstrução de crânio no país. Uma placa foi confeccionada para beneficiar uma paciente que precisava reconstruir parte do rosto, após sofrer um acidente de moto. O procedimento foi um sucesso.
O caso de Jéssica Cussioli, de 23 anos, foi acompanhado antes, durante e depois da cirurgia. A estudante ficou com um buraco de 12 cm de comprimento no crânio após cair de moto e bater a cabeça em uma caçamba de entulho há cerca de oito meses. Ossos na região do olho direito também ficaram fraturados. Uma semana após a reconstituição, a jovem já fazia planos para o futuro.
"Quero ir no shopping! Terminar a minha faculdade. Só coisa nova daqui pra frente. Cabeça nova, coisa nova", conta a estudante.


 Jéssica após a cirurgia de reconstrução de crânio com titânio feita na Unicamp em Campinas (Foto: Reprodução / EPTV)Jéssica após a cirurgia de reconstrução de crânio com titânio feita na Unicamp (Foto: Reprodução / EPTV)


O procedimento foi feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No entanto, como é parte de uma pesquisa da Faculdade de Ciências Médicas, ainda não há uma previsão para que o procedimento seja disponibilizado para toda a rede pública.

Reflexos do acidente
Desde que Jéssica sofreu a colisão, ela nunca deixou de ter dores e desconfortos. Ao bater com a cabeça, a quina da caçamba atravessou a viseira do capacete, causando o ferimento grave. Ela esteve lúcida durante a espera pela chance de reconstrução.

"Tontura, dor de cabeça, mal-estar. O desconforto que eu sinto. Imagina você ter fortes dores de cabeça todos os dias, todo o tempo", conta.


Prótese de titânio foi desenvolvida no Brasil, na Unicamp, em Campinas (Foto: Reprodução / EPTV) 
Prótese de titânio foi desenvolvida no Brasil, na
Unicamp, em Campinas (Foto: Reprodução / EPTV)




 Cirurgia para colocação das placas de titânio foi feita na Unicamp, em Campinas (Foto: Reprodução / EPTV)Cirurgia para colocação das placas de titânio foi feita na Unicamp, em Campinas (Foto: Reprodução / EPTV)
























Fonte: G1

Imagem recebeu mais de 2,7 milhões de visualizações em 14 horas.
Homem parece estar com mão no ombro de jovem que posou com amiga.

 

 Uma ilusão de ótica se tornou sensação na rede social Reddit, com mais de 2,7 milhões de visualizações em 14 horas. Na foto, duas amigas posam abraçadas, mas um homem, que aparece ao fundo, parece estar com a mão sobre o ombro de uma das jovens. No entanto é apenas ilusão de ótica por conta do ângulo que a foto foi feita.

 

 Ilusão de ótica se tornou sensação com mais de 2,7 milhões de visualizações (Foto: Reprodução/Reddit)Ilusão de ótica se tornou sensação com mais de 2,7 milhões de visualizações (Foto: Reprodução/Reddit)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: G1

sexta-feira, 29 de maio de 2015

De 29 de maio a 7 de junho, o Hangar recebe a XIX Feira Pan-Amazônica do Livro, que este ano terá como país homenageado o Japão

 Foto: Rodolfo Oliveira (Agência Pará)Foto: Rodolfo Oliveira (Agência Pará)


De 29 de maio a 7 de junho, o Hangar Convenções e Feiras da Amazônia recebe a XIX Feira Pan-Amazônica do Livro, que este ano terá como país homenageado o Japão e patrono, o escritor Ariano Suassuna, morto no ano passado. O evento vai ocupar uma área total de 24 mil metros quadrados, que vão receber, entre outros, 219 estandes, 448 editoras, com 37 participando diretamente, e oferecer 96 mil títulos, além de Espaço Infantil, praça de alimentação e auditórios.
A escolha do país homenageado celebra a imigração japonesa no Brasil, iniciada no século XX, com a assinatura do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação entre os dois países. “Este ano vamos comemorar os 120 anos do processo migratório do Japão para o Brasil, especialmente em três Estados: Pará, Paraná e São Paulo, que receberam essa leva migratória de forma mais intensa, com uma rica contribuição para a história, agricultura, comércio, cultura e indústria”, explica o secretário de Estado de Cultura, Paulo Chaves.
O autor homenageado, por sua vez, era um velho conhecido dos frequentadores do evento. “Ariano Suassuna veio seis vezes à Feira Pan-Amazônica do Livro. Era um entusiasta do trabalho que fazemos aqui”, ressalta o secretário. Com uma programação voltada para a valorização da cultura, a feira vai receber, no Encontro Literário, escritores locais como Paulo Nunes, João Carlos Pereira, Juraci Siqueira, Claudio Cardoso, Luciana Brandão, Giselle Ribeiro, Nilson Oliveira e Vasco Cavalcante, além dos jornalistas Paulo Silber e Marcelo Damaso.
Entre os escritores nacionais estão Daniel Munduruku, José Castello, Rodrigo Lacerda, Stella Maris Rezende, Cristiano Mascaro, Ignácio de Loyola Brandão e Oscar Fussato Nakasato. A previsão é que 120 autores locais passem pelo estande do Escritor Paraense, espaço cedido gratuitamente pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult), onde escritores de vários municípios lançam livros, fazem sessão de autógrafos e promovem outros eventos que tornam o local uma grande vitrine da produção literária local. Haverá também um espaço dedicado à Literatura de Cordel.

Debates – Outra programação confirmada é o seminário “Mário de Andrade e o Modernismo no Brasil”, que vai lembrar os 70 anos da morte do escritor que deixou registros da forte relação que desenvolveu com a cidade de Belém e sua cultura, explica a diretora de Cultura da Secult, Ana Catarina Brito.
Com relação às oficinas ministradas durante a feira, que a cada ano recebem uma demanda crescente, a diretora garante que o público já pode ir se preparando. “Vamos receber Maurício Leite, que traz o seu trabalho de fomento à leitura, direcionada a bibliotecários, arte educadores e professores”, diz, acrescentando as oficinas sobre a cultura japonesa: Taiko (tambor japonês), Shuji (caligrafia japonesa) e dança japonesa, entre outras. Também estarão presentes o projeto Biizu, da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), o Navega Pará, com oficinas como Introdução à Robótica, e a escritora Stella Maris, com as “Letras Mágicas”.
O Cred Livro, criado pelo governo do Estado para estimular o acesso à leitura e também a valorização do servidor, libera este ano, durante a XIX Feira Pan-Amazônica do Livro, um crédito de R$ 200 para aquisição de livros, que podem ser adquiridos durante o evento e também nos salões que ocorrem em Santarém e Paragomina. O recurso vai beneficiar um total de 20 mil servidores da educação no Pará.
Para atender aos usuários do Cred Livro, durante toda a feira estará instalado um posto do Banco do Estado do Pará (Banpará) na Sala Multiuso do Pavilhão de Feiras do Hangar. “O desafio, este ano, é alcançar o maior número de pessoas, e que elas usufruam desse benefício”, destaca a diretora de Cultura da Secult. Em 2014, a Feira Pan-Amazônica do Livro recebeu cerca de 400 mil pessoas. Ao longo de dez dias, atingiu a marca de 880 mil livros vendidos e movimentou mais de R$ 16 milhões em negócios.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Fonte: Portal ORM