quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Governo informou que só se pronuncia após Secretaria analisar material.

 

 Preso usaria outro nome em perfil da rede social (Foto: Divulgação/ ) 

Preso usaria outro nome em perfil da rede social
(Foto: Divulgação)


Selfies de presos tiradas de dentro da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo foram repassadas ao G1 nesta quarta-feira (2) por um policial da unidade prisional. De acordo com ele, as imagens, que são recentes, foram feitas com aparelhos apreendidos durante revista no presídio e mostram ainda uma piscina improvisada onde um detento tira foto.
O preso Anderson Monteiro Alves, apelidado de ‘Guri’, foi fotografado por um colega de presídio dentro da piscina. Para escapar de um monitoramento, ele teria mudado o nome que aparece no perfil do Facebook.
“Eles dizem que é para a criação de patos. Mas, é mentira, porque quando passamos pelo local, eles [presos] estão dentro da piscina só ‘de boa’ com cordão de ouro, relógios e óculos caros. Tudo só para se exibir. Nem se importam com a nossa presença. A piscina é dele [Anderson]. Já tentamos ‘derrubar’ esse ‘tanque de água’, mas não conseguimos”, afirma um policial, que não quis se identificar.
Ele afirma que a piscina fica na Ala 12, onde os presos de organizações criminosas têm quartos individuais. "Eles ainda têm um galinheiro. E é a maior dificuldade para entrarmos neste local", revela.

 Fazendo pose para foto em meio a garrafas de bebidas alcoólicas e sentado em uma cama, o preso Sebastião Frank Santos da Silva não se intimida com a lente fotográfica. Ele cumpre pena por tráfico e associação para o tráfico, conforme o policial militar que presta plantão na penitenciária.
Rhadryan Colares Lima chegou a fugir para o estado do Amazonas, mas foi recapturado e recambiado em janeiro de 2014 para Roraima. Na foto, ele aparece também em uma festa de uma organização criminosa.

 Preso se exibe com bebidas alcoólicas  (Foto: Divulgação/)Preso Sebastião da Silva se exibe com bebidas alcoólicas (Foto: Divulgação)

 Rhadryan Colares Lima participa de festa  (Foto: Divulgação/)Rhadryan Colares Lima, de bermuda verde e sem camisa, participa de festa com outros detentos (Foto: Divulgação)




Fonte: G1

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Policial orientou pais a fazerem técnica que salvou bebê em Jacareí (SP).

 

 Um choro de alívio e muita emoção. Após alguns minutos de angústia, o choro de uma recém-nascida que estava engasgada tranquilizou e emocionou os pais e um policial militar que ajudou no resgate por telefone. Com orientações do PM, o pai conseguiu fazer uma técnica para desengasgamento e salvar a bebê.

Desesperada, a mãe ligou para o serviço de urgência da PM e pediu ajuda para salvar a filha Isabela, com apenas 35 dias de vida. Por conta do tempo seco, a criança havia se engasgado com uma secreção nasal.

"Ficamos bastante desesperados. Ela começou a tossir, estava ficando roxa e parou de respirar. Na hora só lembrei do 190 e já liguei. Ela ficou uns 40 segundos sem respirar e ele [PM] foi falando, me orientando com a técnica, o que fazer.  Meu esposo fez e ela voltou. Deu uma respirada forte e chorou", conta Fabiana Conejo Gimenes Menegussi, de 29 anos.

Durante a ligação, o soldado Carlos Barros, que fez o atendimento da ocorrência, disse que tentou manter a calma da mãe ao mesmo tempo que colhia informações para enviar uma viatura ao local e orientava sobre o procedimento para desengasgar o bebê.

"Foi muito gratificante quando ouvi o choro. Estamos sempre preparados para esse tipo de ocorrência, mas é emocionante porque a gente sente também o dever cumprido. Quando ouvi o choro, chegou até a escorrer lágrima do meu olho", disse.

Após a bebê desengasgar, a mãe da criança agradece o policial por duas vezes e se emociona na ligação. Isabela ainda foi levada para o hospital e passou por exames. Ela recebeu alta médica no mesmo dia.

PM auxilia resgate de bebê engasgado pelo 190 e mãe se emociona; ouça (Foto: Divulgação/ Polícia Militar)
Pais de Isabela levaram filha até o batalhão para
agradecer resgate pelo telefone 190 da PM
(Foto: Divulgação/ Polícia Militar)


 Encontro
Na última semana, os pais da criança foram até o batalhão da PM para agradecer pessoalmente o policial. "Se não fosse pela ajuda dele, eu teria perdido ela. O policial também ficou muito emocionado e foi muito legal. Na hora, ele já veio e pediu para pegar ela no colo, afirmou Fabiana.

"Foi muito gratificante. A gente que tem filho pequeno se emociona bastante também. Fiquei muito feliz, fiz meu papel de ajudar a população", afirmou Barros, que também tem uma filha de cinco anos e um adolescente de 15.
A Polícia Militar informou que não tem um levantamento com ocorrências deste tipo, mas afirmou que casos como esse não são raros.




Fonte: G1

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Jessica Cox, de 32 anos, nasceu sem braço, mas pratica artes marciais e aprendeu a pilotar um avião sem o uso de próteses. Conheça a história da mulher que entrou para a história da aviação

 

 Jessica Cox surpreendeu os médicos e os pais ao nascer sem os braços (Foto: Reprodução/Facebook)Jessica Cox surpreendeu os médicos e os pais ao nascer sem os braços (Foto: Reprodução/Facebook)

 

 

A primeira coisa que as pessoas notam quando encontram a americana Jessica Cox, 32, é que ela não tem braços - Cox está acostumada com os olhares. Mas quando conhecem a primeira piloto sem braços e faixa preta do mundo, descobrem que a deficiência não define quem ela é.
Cox nasceu sem os membros superiores em um caso que até hoje desafia os médicos por não haver uma causa para sua deficiência. Desde cedo, ela se adaptou à sua condição com a ajuda da família e do esporte.  

 Americana levou um tempo até encontrar uma aeronave que pudesse ser pilotada com os pés (Foto: Reprodução/Facebook)Americana levou um tempo até encontrar uma aeronave que pudesse ser pilotada com os pés (Foto: Reprodução/Facebook)





Fonte: globo.com

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Comportamento agressivo com relação a colegas motivou recomendação.
Dois jornalistas foram mortos na Virgínia, durante transmissão ao vivo.

 

 Imagens postadas em redes sociais mostram momento em que o atirador aparece no vídeo durante a entrada ao vivo (Foto: Reprodução)Imagens postadas em redes sociais mostram momento em que o atirador aparece no vídeo durante a entrada ao vivo (Foto: Reprodução)

 

 Memorandos internos mostram que a chefia de reportagem da WDBJ7, afiliada da CBS, pediu para Bryce Williams, suspeito de matar dois ex-colegas de trabalho na Virgínia, nos Estados Unidos, buscar ajuda médica, de acordo com reportagem da rede britânica BBC.

O chefe de reportagem, Dan Dennison, observou que Williams, cujo nome nos registros oficiais é Vester Lee Flanagan II, apresentava comportamento agressivo com relação aos colegas, ainda segundo o texto da BBC publicado nesta quinta-feira (27).

A repórter Alison Parker, de 24 anos, e o cinegrafista Adam Ward, de 27, foram baleados enquanto participavam de uma transmissão ao vivo em Virginia, nos Estados Unidos, na manhã de quarta-feira (26). A entrevistada, que ficou ferida nas costas, passou por cirurgia, mas passava bem nesta quinta.

Após o crime, Williams publicou o vídeo que registrou os disparos. Ele alegou que Alison Parker tinha feito cometários racistas e Adam Ward fez uma reclamação sobre ele no departamento de Recursos Humanos. Nesta quinta-feira (27), flores e homenagens foram feitas na sede da emissora em Roanoke. 

 

Flores foram colocadas na sede da emissora em Roanoke, na Virgínia, em homenagem à repórter Alison Parker e ao cinegrafista Adam Ward. (Foto: Don Petersen/The Roanoke Times via AP)Flores foram colocadas na sede da emissora em Roanoke, na Virgínia, em homenagem à repórter Alison Parker e ao cinegrafista Adam Ward. (Foto: Don Petersen/The Roanoke Times via AP)

 

 

 

Fonte: G1

 

Equipe paraense não conseguiu repetir a atuação realizada na quinta-feira passada e foi derrotada dentro de casa

 

 

A torcida correspondeu, mas o time do Paysandu Sport Club não repetiu a atuação de quinta-feira passada, no Maracanã, e acabou derrotado pelo Fluminense por 2 a 1 no Mangueirão, dando adeus à Copa do Brasil.
O Tricolor carioca venceu o segundo confronto das oitavas de final e agora aguarda o sorteio para saber quem será o seu adversário na próxima fase. Já o Papão precisa mudar de foco imediatamente, pois no sábado (29) recebe o Bragantino (SP) pela 21ª rodada da Série B do Brasileiro. Cícero e Marcos Júnior marcaram para o time de Xerém. Yago Pikachu, de pênalti, descontou para os donos da casa.

 Betinho foi expulso com 11 minutos em campo (Foto: ORM News)Betinho foi expulso com 11 minutos em campo (Foto: ORM News)  Com um jogador a menos, o Papão perdeu a força ofensiva e viu o time de Xerém controlando a partida até o final.




Fonte: Portal ORM

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Mais 19 mil pessoas conseguiram trabalho no Pará no segundo trimestre

 

No segundo trimestre de 2015, foram verificados quase 3,4 milhões de pessoas com mais de 14 anos ocupadas no Estado do Pará. São cerca de 19 mil trabalhadores a mais do que no mesmo período de 2014 (3,3 milhões) - aumento de 0,57%. Os dados são da Pesquisas por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados ontem. De acordo com o levantamento, o nível de ocupação, no Pará, alcançou 56% da população. Esse percentual de abrangência é 0,9 ponto percentual (p.p.) inferior ao apresentado no segundo trimestre de 2014 (56,9%) e 0,2 p.p. menor em relação à proporção nacional (56,2%).
O número de desocupados aumentou 30,7%, variando de 254 mil para 332 mil, entre abril, maio e junho de 2014 e abril, maio e junho de 2015. A taxa de desocupação no Estado ficou em 8,9%, acima do percentual observado para todo o Brasil (8,2%). Em números absolutos, o Pará registrou 3,7 milhões de pessoas na força de trabalho, com capacidade para participar dos processos praticados no mercado, sendo mais de 3,3 milhões de ocupados e 332 mil desocupados.
A Pnad Contínua produz informações sobre a inserção da população no mercado de trabalho e suas características, tais como idade, sexo e nível de instrução, permitindo o estudo do desenvolvimento socioeconômico do país. A cada trimestre, a pesquisa investiga 211.344 domicílios particulares permanentes em aproximadamente 16 mil setores censitários, distribuídos em aproximadamente 3,5 mil municípios.
No Pará, a parcela populacional com mais espaço no mercado de trabalho tinha entre 25 e 59 anos. Cerca de 2,4 milhões dos ocupados estavam nesse grupo, no segundo trimestre de 2015. Entre os desocupados, a faixa etária destacada está entre 18 e 39 anos de idade, com cerca de 254 mil pessoas com 14 anos ou mais de idade sem emprego. A taxa de desocupação é maior entre os paraenses com idade entre 18 e 24 anos (19,6%) e entre aqueles com idade entre 14 e 17 anos (15,8%).

Foto: Ministério do TrabalhoFoto: Ministério do Trabalho      Fonte: Portal ORM 

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Levantamento feito pelo IBGE mostra que 88 mil pessoas dizem ter algum tipo de deficiência

 

No Pará, aproximadamente 88 mil pessoas (1,1% da população) possuíam deficiência física, como paralisias, amputações, deformidades e nanismo, de acordo com a 3ª Pesquisa Nacional de Saúde, produzida entre 2013 e 2014 e divulgada na última sexta-feira (21), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com a presença do ministro da Saúde, Arthur Chioro. O percentual era maior entre homens (1,4%) do que entre as mulheres (0,8%). De acordo com o estudo, 0,4% dos deficientes do Estado (32 mil indivíduos) nasceu com a deficiência e 56 mil (0,7%) adquiriram por meio de alguma doença ou acidente.
Os dados levantados pelo IBGE também revelam que 6,2% da população brasileira têm algum tipo de deficiência. A pesquisa considerou quatro tipos de deficiências: auditiva, visual, física e intelectual. Entre os tipos de deficiência pesquisados, a visual é a mais representativa e atinge 3,6% dos brasileiros, sendo mais comum entre as pessoas com mais de 60 anos (11,5%). O grau intenso ou muito intenso da limitação impossibilita 16% dos deficientes visuais de realizarem atividades habituais como ir à escola, trabalhar e brincar.
Entre os 44 mil cidadãos com deficiências intelectuais, no Estado, 37 mil nasceram deficientes (0,5% do total da população), oito mil foram acidentados ou ficaram doentes (0,1%), 21 mil possuíam deficiência em grau intenso ou muito intenso de limitações, chegando a não conseguir realizar atividades habituais (47,1%), 15 mil não tinham limitações das atividades habituais (32,9%) e 23 mil frequentavam algum serviço de reabilitação total. 

Foto: Paula Sampaio/ O LiberalFoto: Paula Sampaio/ O Liberal       Fonte: Portal ORM

 

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Esquema contava com a participação de servidores das três esferas

 

Foto: Polícia FederalFoto: Polícia Federal   Sete pessoas já foram presas na operação 'Madeira Limpa', da Polícia Federal em parceria com o Ministério Público Federal, com objetivo de desarticular uma quadrilha especializada em comércio ilegal de madeira em Belém e interior do estado. A ação também acontece em Manaus (AM) e Florianópolis (SC). Segundo a polícia, o esquema contava com a colaboração de servidores públicos, municipais, estaduais e federais, mediante pagamento de vantagens. O prejuízo mínimo estimado ao patrimônio público é de R$ 31,5 milhões.

A ação, que foi deflagrada na manhã desta segunda-feira (24), deve cumprir 22 mandados de prisão preventiva, um de prisão temporária, 41 de busca e apreensão, além de 10 mandados de condução coercitiva. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal para os municípios de Santarém, Belém, Itaituba, Uruará, Alenquer, Monte Alegre, Óbidos, além de Manaus e Florianópolis.
Entre os locais onde a polícia cumpre mandados de busca e apreensão estão a sede do Incra de Santarém; sede do Ibama e Secretaria de Meio Ambiente, em Belém; e nas Secretarias de Meio Ambiente de Óbidos e Alenquer.
Em um dos locais, a polícia encontrou um malote de dinheiro, cujo valor total ainda não foi informado. 
Crime - A operação 'Madeira Limpa' é resultado de oito meses de investigações que mostraram que o esquema envolvia a titulação de áreas para elaboração de planos de manejo, que serviam para liberar créditos florestais. Liberados os créditos, estes eram movimentados através de empresas, em sua maioria fantasmas, e utilizados para acobertar madeira extraída ilegalmente de locais diversos do plano aprovado. 



Fonte: Portal ORM